AO VIVO

ALPB aprova projeto que proíbe venda de fogos de artifício com estampido

A Assembleia Legislativa aprovou, durante sessão ordinária na última terça-feira (9), projeto de lei que proíbe  a soltura, a comercialização, o armazenamento e o transporte de fogos de artifício de estampido em toda a Paraíba.

A deputada estadual Dra. Paula, que apresentou o projeto com coautoria do deputado Professor Francisco, defendeu o projeto e afirmou que ele será importante para pessoas com transtorno do espectro autista (TEA) e na proteção de animais. “Nada melhor que os humanos e animais juntos por um mundo melhor. Vamos fazer com que a Paraíba entre no contexto nacional”, afirmou.

Professor Francisco considerou que a ALPB finca um marco regulatório em defesa da dignidade humana. “Nós de fato fazemos com que os 223 municípios paraibanos, a partir de 2025, entrem no novo patamar de respeito à vida em todas as modalidades”, disse o parlamentar.

O deputado Sargento Neto apresentou emenda substitutiva ampliando para nove meses o prazo para que produtores e comerciantes de fogos de artifício possam se adequar à nova regra.

“Foi necessário ouvir os comerciantes e produtores, para que eles não fossem prejudicados de imediato. Eles precisam de um tempo para vender o que já foi fabricado, então mudamos o prazo para eles venderem seus estoques e se adequarem à nova norma”, explicou o parlamentar.

Ministério Público acompanha

Desde o ano passado, a promotora de Justiça, Danielle Lucena, coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente, está articulando, no âmbito do Ministério Público, um movimento pela não utilização de fogos sonoros. Essa atuação foi iniciada com a adesão do MPPB à mobilização de conscientização popular “Brilho sim, barulho não”, por ocasião das festas de fim de ano, e se estendeu na luta pela aprovação de uma lei que proíba esse tipo de fogos no Estado.

“A conscientização de cada cidadão e cidadã respeitando o direito dos outros com empatia pelos que sofrem com o barulho dos fogos é muito importante. No entanto, precisamos de um instrumento legal que normatize essa prática. No mês passado, foi realizada uma audiência pública na ALPB para discutir essa questão e os depoimentos de pessoas que sofrem, de mães de crianças e adolescentes autistas, de donos de animais são muito impactantes. E uma fala recorrente naquele momento foi que a sociedade precisa evoluir pelo bem-estar social. Convido a todos que desejam essa evolução para estar conosco na sessão de votação desse PL”, disse Danielle Lucena.

Alguns prejuízos dos fogos sonoros:

1 – Crises devido ao incômodo auditivo e aumento da ansiedade.
2 – Podem afetar a fauna silvestre, causando acidentes e perda de espécimes nativas.
3 – Bebês e crianças podem sofrer alterações auditivas, transitórias ou permanentes.
4 – Idosos com mal de Alzheimer podem ter pânico, susto, desespero, desorientação e outros riscos.
5 – Animais ouvem até 500 vezes mais alto do que os humanos e podem sofrer tremores, problemas cardíacos e até a morte.
6 – Cães e gatos, por exemplo, ficam estressados, podem fugir de casa e pular de varandas.
7 – Aves ficam desorientadas e, atordoadas, voam sem direção, chocando-se contra objetos, árvores e outros pássaros.

 

Fonte: MaisPB

 Foto: Ascom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas

Contato

departamento comercial

(83) 99891 - 1069
(83) 99979 - 7945

Sobre nós

Em 3 de Abril de 1982, um sabado á tarde, foi inaugurada em Pombal – PB foi inalgura a primeira estação de radiofusão convencional…

Veja completo